NewsletterGoogle PlusTwitter Facebook

Publicado em:
19
6/2017

Feiras comprovam expansão do setor de produtos orgânicos e naturais

Com 35% a mais de expositores e maior oferta de produtos e serviços, Bio Brazil Fair e Naturaltech movimentaram negócios do setor e disseminaram a cultura da alimentação e hábitos saudáveis entre os consumidores.

A procura por alimentos e demais produtos naturais, saudáveis e sustentáveis cresce a cada ano. A preferência do consumidor por essa categoria foi mais uma vez comprovada nas feiras simultâneas BIO BRAZIL FAIR | BIOFACH AMERICA LATINA e NATURALTECH, que tiveram sua 13ª edição encerrada no último sábado, 10 de junho, no pavilhão da Bienal do Ibirapuera, em São Paulo.

Juntos, os eventos receberam 25.664 visitantes (33% a mais que a edição anterior, em 2016), entre lojistas, compradores corporativos, profissionais da saúde e nutrição, atletas, educadores e público em geral, que vieram ao evento em busca das novidades de um segmento em franca expansão. Todos eles tiveram oportunidade de conhecer, degustar e comprar as novidades diretamente dos produtores e fabricantes.

À medida que aumenta a demanda, as empresas investem em oferecer mais opções para o mercado. A BIO BRAZIL FAIR | BIOFACH AMERICA LATINA e NATURALTECH reuniram 404 expositores que apresentaram em torno de 1.200 lançamentos e destaques em produtos orgânicos certificados (alimentos, cosméticos, roupas e acessórios), naturais e de promoção da saúde (alimentos funcionais, probióticos e integrais, produtos vegetarianos e veganos, suplementos alimentares, cosméticos naturais, fitoterápicos e terapias complementares).

Para Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal Feiras – promotora do evento – o número de expositores 35% maior que no ano passado é um reflexo dessa expansão. “Começamos estas feiras 13 anos atrás, quando o mercado ainda era incipiente. Nesse período, acompanhamos e colaboramos para seu crescimento, profissionalismo e diversificação. Não temos dúvida que o futuro deste mercado será glorioso, e nossas feiras continuarão a representá-lo e a disseminar a cultura dos produtos orgânicos e naturais para o varejo e o consumidor final”.


Negócios
Para incrementar ainda mais os negócios, a BIO BRAZIL FAIR | BIOFACH AMERICA LATINA e NATURALTECH promoveram dois dias de Rodadas de Negócios entre 135 empresas expositoras e 15 compradores de cinco Estados e Distrito Federal, convidados pela organização.

A estimativa de negócios alcançada com as 416 reuniões projetou vendas de R$ 23,4 milhões para as empresas participantes pelos próximos 12 meses, valor quase 10 vezes maior que os R$ 2,47 milhões alcançados nas Rodadas da edição passada.

As reuniões, pré-agendadas e realizadas num ambiente reservado fora dos estandes, colocaram os expositores participantes em contato direto e pessoal com grandes clientes potenciais, como Walmart Brasil, Grupo Pão de Açúcar e Mundo Verde, entre outros.


Pesquisa inédita
A BIO BRAZIL FAIR | BIOFACH AMERICA LATINA e NATURALTECH abriram espaço para uma ampla programação técnica com mais de 100 horas de fóruns, seminários, congressos, palestras, oficinas e outras atividades que colaboraram para a capacitação dos profissionais do setor e ampliaram a visibilidade dos produtos naturais entre produtores, processadores, distribuidores, lojistas, agentes públicos, educadores e consumidores finais.

Entre as muitas atividades, o Fórum Internacional de Produção Orgânica e Sustentável revelou a primeira pesquisa realizada no Brasil sobre o perfil do consumidor de produtos orgânicos, coordenada pelo Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (ORGANIS).

Foram entrevistadas 905 pessoas em nove capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Recife, Porto Alegre e Goiânia. Segundo o ORGANIS, a pesquisa concluiu, entre outras coisas, que 15% da população urbana são consumidores de produtos orgânicos, em especial a região Sul, onde o consumo é o dobro da média nacional. Verduras, legumes e frutas são os alimentos mais consumidos, mas há disposição de introduzir outros produtos orgânicos nos hábitos de consumo.

Fonte: Primeira Página