Mercado

Indústria corre atrás do público que prefere comida orgânica

Grandes marcas fazem lançamentos para brasileiros que consomem estes alimentos pelo menos uma vez por mês.

 

A parcela de brasileiros que consomem orgânicos pelo menos uma vez por mês subiu de 15%, em 2017, para 19%, em 2019, segundo o Panorama do Consumo de Orgânicos no Brasil - 2019, divulgado pelo Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis).

Por causa disso, as grandes indústrias de alimentos estão colocando esse público no radar.

A Quaker, por exemplo, lançou em 2018 três versões orgânicas. Em janeiro de 2020, a Gallo põe no mercado seu azeite extravirgem orgânico. A Nestlé, que já tinha lançado aveias orgânicas e a linha de chocolates Talento Terruá em 2018, vai colocar duas novidades nas prateleiras nas próximas semanas: as papinhas NaturNes e o Ninho Orgânico.

Até a Hellmann's já tem um ketchup fabricado com tomates e açúcar orgânicos -a marca pertence à Unilever, que adquiriu a Mãe Terra, 100% orgânica, em 2018.

 

Leia também:  Biocarvão pode ajudar na recuperação do solo

 

Leia também: Farinha de trigo orgânica do Paraná conquista chefs

 

Fonte: Primeira Página com informações do site Gaúcha ZN.

Redes Sociais