Mercado

Campo Grande ganha o primeiro salão de beleza 100% orgânico

Campo Grande ganha o primeiro salão de beleza 100% orgânico

O OrganHair é uma iniciativa do advogado e empresário Wagner Leão do Carmo. A ideia surgiu porque identificou uma movimentação muito grande de profissionais de beleza para procurar qualificação fora do Estado.

 

Na linha do ecologicamente correto, a ideia do momento é procurar um salão de beleza orgânico, ecológico, sustentável, natural e saudável. De olho nessa nova tendência mundial do mercado da beleza, o empresário e advogado Wagner Leão do Carmo montou em Campo Grande (MS) o 1º salão orgânico da Região Centro-Oeste.

Trata-se do OrganHair, que adotou o conceito de salões e estúdios de cabelo por práticas cada vez mais naturais, orgânicas e saudáveis, tanto para os clientes, quanto para os profissionais da área que diariamente estão em contato com os produtos.

O salão é voltado para aquelas pessoas que têm preocupação com o impacto negativo da humanidade no meio ambiente e já descobriram sobre os malefícios dos compostos químicos. Além disso, aqueles clientes alérgicos que buscam alternativas mais naturais também são bem-vindos.

Wagner Leão destaca que o salão abraça não somente aqueles que procuram por mais saúde, mas também quem não podem utilizar químicos tradicionais, como pessoas em tratamento de câncer, gestantes, lactantes e sensíveis a ingredientes comuns das linhas comerciais (psoríase, dermatites e Alopecia).

Ao contrário dos produtos naturais não-orgânicos que podem ter até 30% de toxinas em sua composição, os produtos orgânicos são feitos a partir de vegetais (basicamente alimentos), com zero toxicidade.

Dentre os componentes dos produtos, estão óleo de jojoba, essência da laranja da Calábria, aloe vera, menta piperita, babaçu, milho, soja, arroz, acerola, Karité, murumuru, bambu, girassol, cacau, macadâmia, flor de lotus, palmito da serra, gardênia, água de coco, limão, cana-de-açúcar e sílica do mar.

Ele explica que as linhas de produtos orgânicos utilizadas no OrganHair são italianas e americanas, mas, dentro de mais alguns dias, também terá uma linha francesa, todas dentro do enfoque orgânico. “A começar pelos nossos lavatórios, que têm um sistema de tratamento da água para que ela saia sem nenhuma química, totalmente pura para ser usada no cabelo dos nossos clientes”, informou.

Para se ter uma ideia, os produtos utilizados no salão têm uma durabilidade maior e uma fomentação ao desenvolvimento natural do couro cabeludo e do fio do cabelo. Ou seja, uma hidratação normal com produto químico demora, em média, dois dias, enquanto com os produtos orgânicos demora até sete dias, isto é, três vezes mais.

“Todos os produtos, químicos e orgânicos, deixam resíduos nos cabelos, mas, enquanto os resíduos dos produtos químicos cessam, depois de 24 horas, a “maquiagem” do fio, danificando o couro cabeludo, nos resíduos dos produtos orgânicos é ao contrário, pois continuam desenvolvendo as qualidades para potencializar a força do cabelo e a resistência”, revelou Leão.

O empreendedor garante que os salões de beleza orgânicos são uma tendência mundial. “Na Europa hoje mais de 40% dos salões são orgânicos. E não pense que os nossos serviços são muito caros, pois, o custo de um litro de shampoo comum sai na faixa de R$ 80,00 e dá para ser usado de 50 a 70 cabelos.

O litro do shampoo orgânico custa perto de R$ 200,00, mas pode ser usado para lavar até 170 cabelos, de acordo com o comprimento, e, se fizermos as contas, o custo de um cabelo lavado com shampoo comum sai por R$ 1,60, enquanto com o shampoo orgânico sai por R$ 1,37”, comparou.

Ele destaca que os produtos orgânicos utilizados no salão foram fabricados usando energia limpa, desde a eólica e termomecânica até a solar. “As fazendas de onde saem a matéria-prima são orgânicas e não entram veículos automotores, sendo que a mecanização é feita por tração animal, os produtos são levados de carroça até a divisa da propriedade para que só então sejam transportados por veículos que utilizam combustíveis fósseis. Isso está se propagando de forma astronômica. Há 8 anos, só existia uma marca mundial orgânica e poucas marcas regionais e hoje nós temos essas três linhas: italiana, americana e francesa”, pontuou.

Um dos cabeleireiros e educador do salão OrganHair, Cauê Morel de Lima, reforça que o salão não foi oficialmente inaugurado. “Nós abrimos as portas em dezembro do ano passado para atender a demanda das festas de fim de ano, mas sem estarmos 100% completos. Pretendemos trabalhar com três atividades diferentes: a academia de beleza, distribuidora de produtos orgânicos para salões de beleza e o salão de beleza”, revelou.

A ideia da academia surgiu porque identificou uma movimentação muito grande de profissionais de beleza para procurar qualificação fora do Estado. “Queremos trazer os instrutores dos grandes centros do País para darem a qualificação aqui dentro do nosso espaço. E a academia não será apenas para cabeleireiros, mas também para manicures e especialistas em pigmentação. Vai ser um espaço aberto para a formação de profissionais”, finalizou.

 

 

Fonte: Primeira Página, com informações do site A Crítica.

Redes Sociais