Mercado

Óleo de Pequi do Xingu vence prêmio da ONU

Iniciativa é concedida a cada dois anos para soluções locais e indígenas. A premiação teve mais de 847 inscritos de 127 países.

 

O óleo de pequi produzido pela Associação Indígena Khīsêtjê (pronuncia-se “kinsêdje”), do Parque Indígena do Xingu, foi um dos vencedores do Prêmio Equatorial 2019, concedido pela ONU a cada dois anos para “soluções locais e indígenas de desenvolvimento sustentável”.

A premiação teve mais de 847 inscritos de 127 países. Apenas 22 associações e comunidades foram vencedoras. O prêmio, que deverá ser entregue aos Khīsêtjê em uma cerimônia a ser realizada em Nova York em setembro, tem o valor de US$ 10.000,00.

“Esse prêmio é uma oportunidade para continuarmos com o trabalho com o pequi feito na nossa associação. Nós ficamos muito felizes de ver o pequi do Khīsêtjê sendo premiado. É um bom incentivo para continuarmos nosso trabalho”, disse à Globo Rural o coordenador de alternativas econômicas da associação, Yaiku Suya.

Yaiku falou com a reportagem de Globo Rural durante a Bio Brazil Fair 2019, feira voltada para o mercado de orgânicos. Neste ano, os indígenas do Xingu levaram dois produtos para a feira: o mel orgânico e o óleo de pequi. Yaku soube da premiação durante o evento. Além do prêmio da ONU, ele foi eleito o maior produtor de mel do Xingu durante encontro – ao qual não estava presente – entre os apicultores do parque realizado entre os dias 27 e 29 de julho.

 

Leia também: Kampo de Ervas reabasteceu estoque para vender na Bio Brazil Fair

Leia também: AhoAloe leva sua linha de sabonete e creme orgânicos

 

Fonte: Primeira Página com informações do site Globo Rural.

Redes Sociais